<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=157485848881632&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">

Como a demanda contratada influencia no custo de Energia?


15 de Julho de 2020 - tempo estimado de leitura:
Por: Diego Cavalcante

Se você precisa entender como a demanda contratada influencia no custo de energia e como isso pode ser uma grande oportunidade de reduzir custos, você precisa continuar lendo este post.

Com o objetivo de compreender melhor o problema, primeiro vamos definir o conceito de demanda de energia e entender a importância no planejamento energético. Para isso, apresentamos uma resolução da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) sobre Demanda Contratada:

A Resolução Normativa ANEEL nº 414 de 2010 classifica Demanda Contratada como “demanda de potência ativa a ser obrigatória e continuamente disponibilizada pela distribuidora, no ponto de entrega, conforme valor e período de vigência fixados em contrato, e que deve ser integralmente paga, seja ou não utilizada durante o período de faturamento, expressa em quilowatts (kW)”.

Trazendo para uma linguagem mais fácil de ser compreendida, a Demanda Contratada é a potência que a concessionária precisa disponibilizar ao cliente de maneira contínua, garantindo assim que o cliente possa utilizar a infraestrutura elétrica de maneira segura para suas operações.

Normalmente, o valor definido para contratação da demanda é dado em no estudo elétrico apresentado pelo time de engenharia antes do início da operação dos processos. O valor apresentado é, na maioria das vezes, calculado a partir das cargas teóricas contidas no projeto.

Diante deste cenário, alguns pontos devem ser levados em consideração:

1) Você pagará pela demanda contratada. Ou seja, se você contrata 600 kW de demanda e consome somente 500 kW, você pagará pelos 600 kW e terá 100 kW pagos desperdiçados;

 

Não é difícil encontrar indústrias que realizaram alterações nos processos produtivos e/ou redução na carga elétrica sem realizarem a redução da demanda contratada. O resultado disso tudo é um dinheiro relativamente alto, pago à concessionária, sem a utilização efetiva da infraestrutura.

Considerando uma tarifa média de R$ 20,00 por kW, se você tem 100 kW de sobra de demanda contratada, estamos falando de um prejuízo de R$ 24 mil reais ao ano.

 

2) Se você tem uma demanda contratada de energia que, efetivamente, não atende à potência que o processo produtivo precisa, ocorrem multas por ultrapassagem de demanda, e estas não são baratas!

Por isso, além da importância de se realizar um planejamento energético para adequar a demanda contratada de energia, é muito interessante realizar e monitorar essa demanda para identificar oportunidades de redução de custos. 

Essa ação traz benefícios financeiros a organização sem a necessidade de grandes investimentos, fazendo com o que o payback seja tangível e quase imediato.

Nova call to action

 

Ficou com dúvidas ou tem comentários? Preencha o formulário abaixo.